Análise de Soft Skills: contrate e retenha melhores talentos

Análise de Soft Skills: contrate e retenha melhores talentos

É muito comum que empresas encontrem dificuldades para compor o seu quadro de colaboradores. Em algumas organizações, são observados ainda altos índices de turnover, que impactam (e desolam) o universo corporativo.

Mas, em um mercado de trabalho tão amplo e com tantos talentos praticamente em “stand by”, por que o RH ainda encontra barreiras para encontrar e reter talentos aderentes ao perfil das organizações? 

Esse questionamento é muito interessante, pois nos ajuda a entender que os contratempos enfrentados talvez não estejam nem nos talentos nem nas empresas especificamente. Na realidade, eles podem estar na forma de recrutar, selecionar e desenvolver pessoas. Nesse cenário, a análise de soft skills pode fazer toda a diferença. Continue a leitura e saiba mais! 

O que está acontecendo com o RH? 

Após anos recebendo candidaturas por e-mail, preenchendo planilhas de Excel e analisando currículos técnicos, profissionais da área de Recrutamento e Seleção começaram a questionar esse modelo.  

De fato, há sobre o que refletir; afinal, aproximadamente 46% dos talentos admitidos evadiam as empresas com menos do que 18 meses de trabalho. Recursos financeiros e de pessoal gastos de forma ineficaz em processos de R&S são um sinal de que ações devem ser tomadas. 

Dessa forma, um francês, na época recém-saído da universidade, começou a idealizar um novo modelo de recrutamento. O objetivo era de não avaliar somente o currículo do candidato, mas quem ele é de fato. David Bernard, CEO da AssessFirst, tem palavras muito interessantes a dizer sobre sua proposta de recrutamento e seleção. 

“Nós avaliamos o potencial do candidato para antecipar qual é a probabilidade de ele obter sucesso no seu posto. Podemos, também, predizer a sua capacidade de ser feliz no exercício do seu trabalho. Recrutar alguém que será bem-sucedido já é metade do caminho. Agora, recrutar alguém que possa ser bem-sucedido e que continue engajado depois de 9 ou 12 meses, é ainda mais interessante”. 

Essa forma de recrutar pode parecer utópica ou uma possibilidade ainda distante, mas isso não é verdade. Hoje, já é possível recrutar candidatos avaliando suas soft skills (competências comportamentais). Assim, você não trará para a sua organização pessoas com currículos de destaque, mas indivíduos com perfis aderentes e que vão se engajar na sua missão de negócio. 

Como a análise de soft skills influencia no sucesso do recrutamento e seleção? 

Ao realizar um processo de recrutamento e seleção, é preciso conhecer o seu candidato além do currículo dele. Para isso, é possível recorrer a plataformas de análise de soft skills, que vão precisar em gráficos e tabelas ágeis quais são as competências desse possível colaborador em três domínios diferentes: motivação, relacionamentos e habilidades intelectuais. 

A seguir, conheça melhor cada um desses aspectos e veja como é possível conhecer seu futuro colaborador! 

Motivação 

Essa parte da avaliação de soft skills é fundamental se você deseja recrutar colaboradores que vão ser engajados na missão da sua organização. Testes que estudam a motivação do candidato podem mostrar o que e como ele quer fazer alguma coisa, em qual contexto ele quer fazê-lo e qual o propósito.

Além de permitir descobrir quem são os talentos antes de eles entrarem na organização, você poderá conhecer os que trabalham com você. Assim, será possível, além de selecionar os melhores perfis, desenvolver aqueles que já estão à sua volta! 

Relacionamentos 

Aqui, o objetivo já é um pouco diferente. É hora de saber como um indivíduo se relaciona com o universo ao seu redor. Bons exemplos de avaliações de relacionamento procuram dizer como o candidato se porta frente aos outros e ao trabalho a fim de especificar como eles conduzem situações e eventuais problemas. 

Outro aspecto importante dessa avaliação é entender como o candidato administra suas emoções e, o mais importante, o que ele faz com elas. Quesitos como equilíbrio pessoal e adaptabilidade serão estudados e podem ajudar você a selecionar e reter os melhores profissionais

Habilidades intelectuais 

É importante saber do que um indivíduo é capaz no que diz respeito ao seu intelecto. Exames de habilidades intelectuais procuram desvendar como o candidato analisa situações, manipula números e usa os seus conhecimentos para resolver desafios. 

Sem dúvida, saber quais são essas habilidades faz toda a diferença para avaliar se alguém é competente o suficiente para realizar um determinado trabalho ou tarefa. Imagina um Diretor Financeiro, por exemplo, com baixa habilidade com números ou um Redator com baixo índice de raciocínio verbal? 

A receita do quadro de pessoal de sucesso precisa passar pela análise de soft skills. É sempre um desafio contratar e selecionar profissionais com perfis aderentes ao da sua organização. Contudo, existem maneiras de simplificar esse processo e torná-lo mais prático, objetivo e efetivo. 

Se você está em busca de uma solução que possa ajudar na identificação e análise de soft skills para a contratação e retenção de talentos, conheça a ferramenta AssessFirst!